Constância a Vila Poema de Camões

Camões antes de ir para Ceuta terá estado em Constância. Na sua poesia fala no Tejo e no Zêzere. O degredo teria sido na Casa dos Arcos que fica mesmo em frente da confluência dos dois rios.
site_constancia_camoes_1647José Hermano Saraiva, por sua vez, estava convencido que foi nas masmorras do antigo castelo de Punhete. Era este o nome anterior de Constância.

Zêzere junta-se ao Tejo
Zêzere junta-se ao Tejo

As interpretações do passado são secundárias em função da atual relação que a auto designada Vila Poema tem com Camões.


Como diz António Matias Coelho, presidente da Associação da Casa-Memória de Camões em Constância, nenhuma outra terra tem uma relação tão profunda com o autor dos Lusíadas. Isto é patente, por exemplo no 10 de Junho.

Em alguns locais há sinais de inciativas sobre Camões
Em alguns locais há sinais de inciativas sobre Camões

Tal como referiu nas comemorações deste ano um professor universitário “Constância é a única terra que celebra Camões como poeta seu. As Pomonas Camonianas que fazemos aqui há mais de 25 anos são um testemunho dessa profunda ligação que a nossa comunidade tem à memoria de Camões”.
site_constancia_camoes_1648Esta relação foi impulsionada pela Associação cuja mentora foi Manuela de Azevedo a primeira mulher jornalista em Portugal. Os frutos desse trabalho fazem de Constância a mais camoniana vila portuguesa com três monumentos que vale a pena visitar.

Monumento a Camões da autoria de Lagoa Henriques
Monumento a Camões da autoria de Lagoa Henriques

Um é o monumento a Camões da autoria do mestre Lagoa Henriques. Camões jovem e ainda com os dois olhos porque a ter estado em Constância foi antes de ir para Ceuta onde perdeu uma vista.

Camões e o miradouro
Camões e o miradouro

A estátua está próximo do miradouro para o rio Zêzere, junto a uma zona verde onde se pode caminhar junto ao rio.
site_constancia_camoes_1652Ao lado deste monumento fica um painel de azulejos com os caminhos de Camões pelo Mundo e ao lado está a porta de entrada do Jardim Horto de Camões.

Pavilhão de Macau no Horto Jardim de Camões
Pavilhão de Macau no Horto Jardim de Camões

“É um monumento vivo. É uma homenagem a Camões através de plantas que cantou na lírica e na epopeia”. As plantas da lírica são as que nós conhecemos e que fazem parte do nosso meio ambiente. As da epopeia são sobretudo plantas exóticas, orientais.

Duas plantas orientais: pimenta e canela
Duas plantas orientais: pimenta e canela

Podemos ver, entre outras, a pimenta, cânfora e canela. No jardim há ainda outros objectos alusivos à vida de Camões e à sua poesia como por exemplo outra estátua do mestre Lagoa Henriques.

Ilha dos Amores da autoria de Lagoa Henriques
Ilha dos Amores da autoria de Lagoa Henriques

É a Ilha dos Amores. Faz ainda parte um jardim de Macau e a maior esfera armilar feita em Portugal, um formato igual ao da bandeira nacional.

Casa-Memória Camões
Casa-Memória Camões

Por último, a Casa dos Arcos, em frente ao Tejo. É a Casa-Memoria Camões. “É um edifício novo”. Um projecto da Faculdade de Arquitetura de Lisboa. “Foi erguido sobre as ruínas de uma casa quinhentista que o povo diz que foi a casa onde Camões viveu. É uma tradição que passou de geração em geração de que Camões terá estado aqui.”

Casa-Memória Camões
Casa-Memória Camões

O edifício tem cinco pisos e está classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1983. Vai da beira rio até ao alto do casario, à rua Camões. O percurso pode ser feito pelas Escadinhas de Tem-te Bem.

site_constancia_camoes_rua_1703O grande objectivo da Associação é guarnecer a casa com conteúdos para visitação. Algo que ainda merece maior justificação porque “não nos parece fazer muito sentido que o nosso maior poeta não tenha a Casa Camões. Há de outros mas de Camões não há e nós temo-la aqui em Constância.
site_constancia_camoes_1666Uma casa nova e grande mas que está praticamente vazia porque não tem conteúdos”. Este é um dos objectivos que a Associação procura alcançar de modo a “afirmar Constância como o grande centro camoniano em Portugal.”

António Dias Coelho - Associação da Casa-Memória de Camões
António Matias  Coelho – Associação da Casa-Memória de Camões

Constância a Vila Poema de Camões faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s