Nem a morte serenou a amada de Camões

É na igreja do Convento do Beato que estão os restos mortais de Violante Andrade, a ama por quem Camões se apaixonou e que lhe marcou a vida. Fica na Alameda do Beato, em Lisboa.

Violante Andrade
Violante Andrade – retrato numa pintura da igreja da Misericórdia de Algodres

Violante Andrade era casada com o Conde de Linhares e, na interpretação de José Hermano Saraiva, teve um caso amoroso com Luís de Camões, em Coimbra, que marcou para sempre a vida do poeta.

Antiga igreja ao lado do Convento do Beato
Antiga igreja ao lado do Convento do Beato

Ainda na opinião de José Hermano Saraiva, a antiga capela onde se encontram as sepulturas de várias gerações dos condes de Linhares é, “em todo o país, o lugar com mais reminiscências de Camões”. Porque é onde está a apaixonada de Camões, amigos, jovens com quem conviveu e que tiveram o infortúnio de morrer em Ceuta. Só falta uma das filhas de Violante, por quem Camões também se apaixonou e que terá morrido numa viagem marítima. Gente que ficou imortal nos Lusíadas e na lírica de Camões.

No entanto, tudo ficou ao abandono. O fim das ordens religiosas em 1835 foi o início do abandono e descaracterização do edifício e do panteão. “Havia sepulturas. Umas estavam nas paredes outros no chão. Um dia meteram umas máquinas a limpar e a deitar abaixo o que por lá havia. Foi tudo. site beato_1483Ficou uma garagem. Os mármores bonitos desapareceram. Eu sei porque uma vez uma parede traseira caiu e também os corpos que estavam emparedados. Eu tinha 6 ou 7 anos e fui ver. Estavam esqueletos que depois foram apanhados. Eu vi os nomes das pessoas enterradas no chão. Estavam escritos em Latim. Agora está sempre fechado. Não há nada no interior”. A descrição é de Elvira Rodrigues vizinha da igreja onde está o panteão dos Condes de Linhares.

Elvira Rodrigues e o marido
Elvira Rodrigues e o marido

Elvira Rodrigues vive há cerca de 80 anos nesta casa e assistiu a uma parte importante da transformação do edifício. Passou a armazenar cereais e laboração de malte para cerveja. Nos últimos anos foi o total encerramento das instalações.
Porta da igrejaResta a porta que Elvira Rodrigues e José Hermano Saraiva dizem que ainda é a original, do início do século XVII. “A porta tem tido vários consertos e mantém-se de forma razoável. Ao contrário de algumas janelas. Os claustros foram bem conservados. A capela não, o que é uma pena”.
site_beato_1468A capela-mor foi terminada em 1622 e na altura era a mais alta de Lisboa.
O panteão da família dos condes de Linhares foi mandado construir por uma filha de Violante e também completou o sonho do frei António da Conceição que ganhou fama na corte e entre o povo, desde o rei D. Sebastião à plebe que o adorava.
site_beato_1484Quando morreu três vezes tiveram de lhe vestir o hábito porque o povo o deixava nu ao arrancar pequenas tiras de pano como relíquia. O local ficou consagrado como Beato e essa designação chega aos dias de hoje como também o nome de Convento do Beato.
Resistiu ao tremor de terra de 1755 mas não a um incêndio no final do século XVIII. A fachada da capela é também a original mas está degradada.

Lactário nº4
Lactário nº4

É muito alta e marca o fecho da Alameda do Beato, com vários jacarandás e que tem início no lactário nº4 que em breve poderá ser desaparecer.
A capela tinha duas torres mas foram demolidas quando o edifício foi comprado por um industrial na sequência da extinção das ordens religiosas. A igreja foi saqueada, ficou ao abandono e depois de vendida foi transformada para armazém de cereais e fabrico de malte.
site_beato_1480Foram construídos três pisos entre santos e altares. A arquitetura religiosa foi substituída por arquitetura industrial. Nem de propósito, o forno ficou no altar mor onde está o panteão da família dos condes de Linhares.
O conjunto do Convento do Beato está classificado como Imóvel de Interesse Público, durante muitos anos pertenceu ao grupo Cerealis que recentemente vendeu a um grupo imobiliário suíço (Larfa Properties). As obras para um condomínio já começaram.

Ligação de Alfama ao Campo das cebolas
Ligação de Alfama ao Campo das Cebolas

Da família dos Condes de Linhares há ainda a registar em Lisboa a grande propriedade que detinham próximo do Campo das Cebolas. Segundo José Hermano Saraiva, ficava entre a Rua de São João da Praça, o Pátio do Marquês do Lavradio e a Travessa do Arco a Jesus.

Postigo do Conde de Linhares
Postigo do Conde de Linhares

Parte da construção ainda resiste como também o arco e que antes se chamou postigo do Conde de Linhares. Curiosamente as escadas davam acesso a uma praia fluvial.

Largo de Camões
Largo de Camões

Nem a morte serenou a amada de Camões faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s