Descobrir de barco o estuário do Rio Mira

A foz do rio Mira em Vila Nova de Mil Fontes é um dos postais ilustrados da costa alentejana e também um dos lugares mais relevantes do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

 Um dos motivos tem a ver com a avifauna, em particular das aves migratórias.

António Francisco
António Francisco

António Francisco é mestre da embarcação, “Maresia” conhece bem o estuário e recomenda ver as aves no sapal e ao final da tarde, ao por do sol, regressam para as rochas junto ao mar e na ilha do Pessegueiro.
site_barco_vnmfontes_2570De madrugada voltam para o estuário e há muitas aves até Odemira. Pombos, gaivotas, corvo-marinho, garças-reais, maçaricos…”
O “Maresia” é uma embarcação tradicional do estuário do Mira e António Francisco reparte o seu tempo entre a pesca e a travessia para a praia das Furnas ou passeios no rio.

José Mário dirige o barco de outra companhia – River Emotions– que faz regularmente passeios até Odemira e também sublinha que o enquadramento natural é o mais aliciante na viagem, “até porque o estuário faz parque do Parque Natural e é um rio com águas limpas”.
José MárioO passeio até Odemira é o mais longo. José Mário diz que são 2.20h de viagem. “O regresso é de transfer para evitar que as pessoas passem muito tempo no rio e se torne saturante.”

Cais em Vila Nova de Mil Fontes
Cais em Vila Nova de Mil Fontes

O rio Mira é navegável 35km, de Vila Nova de Mil Fontes até Odemira. No entanto, perto de Odemira o rio tem menos profundidade o que exige conhecer bem as marés. O inicio da viagem é com a maré a encher para chegarem a Odemira com a maré cheia devido à pouca profundidade.
site_mario_vnmfontes_2471O passeio permite descobrir uma parte importante do curso do rio que corre para Norte. O curso é mais estreito e a vegetação é mais alta próximo de Odemira. Depois o rio alarga-se, ganha profundidade e força para fazer mover, por exemplo, o antigo moinho de maré que se chama Moinho da Asneira.
site_barco_vnmfontes_2534Tem este nome estranho porque, dizem, o moleiro arrependeu-se da compra e andava sempre a dizer que foi uma asneira o que fez. Hoje é um empreendimento turístico.
site_barco_vnmfontes_2564Próximo do moinho há uma zona de sapais e é muito procurada pelas aves, em particular a garça-real. Ao final da tarde também conseguimos ver muitas nos bancos de areia e nas dunas na margem da praia das Furnas.
site_barco_vnmfontes_2550No lado contrário, na zona do cais, António Francisco diz para se estar atento aos restos de chocos. São vestígios da presença noturna de lontras. “Todos os dias encontra aqui e no outro cais sinais de que elas estiveram a comer chocos e polvo que capturaram. São muitas lontras. Ainda bem que a água é limpa.”

Patos no rio Mira em Odemira
Patos no rio Mira em Odemira

O passeio de barco pode ser complementado com um percurso a pé em Odemira e na ponte pedestre sobre o Mira. De manhã encontra famílias com dezenas de patos. Nas ruas de Vila Nova de Mil Fontes o ambiente muda significativamente no verão.
site_vnmfontes_mira_2465Aliás, a agitação no rio com os barcos é semelhante. Diz António Francisco que “o rio Mira é bonito em Abril, Maio e Junho. Depois em Setembro e Outubro. Em Agosto anda por aqui gente esgazeada”.

Saudações à chegada
Saudações à chegada

Descobrir de barco o estuário do Rio Mira faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s