Camões em Lisboa: da tortura no Tronco ao enigma de Sant’Ana

Três lugares de Lisboa marcam a vida de Camões e constituem histórias incertas e interessantes.

Comecemos pelo Rossio, por uma vulgar briga para a época que meteu espadas e alguns homens que queriam mostrar a sua valentia.

Mosaicos retratam Camões. Trabalho de Leonel Moura no Pátio do Tronco
Mosaicos retratam Camões. Trabalho de Leonel Moura no Pátio do Tronco

Foi em 16 de Junho de 1552 e Camões, que tinha fama de quezilento, também se envolveu e atingiu um dos participantes nas chamadas “gentilezas”. Pagou caro.

Passagem para o Tronco de Lisboa
Passagem para o Tronco de Lisboa

Foi condenado e depois perdoado mas teve de passar oito meses no Tronco de Lisboa. Um lugar miserável segundo testemunhos da época. Para comer ou beber tinha de se pagar. O preso que não tivesse dinheiro morria de sede.


O lugar ficava no final da pequena Travessa do Tronco na Rua das Portas de Santo Antão, quase em frente ao actual Ateneu. Um painel de azulejos de Leonel Moura evoca a prisão de Camões.

Pátio do Tronco
Pátio do Tronco

O tronco marcou também o futuro do poeta porque era vulgar a tortura, com alongamentos de partes do corpo o que, segundo José Hermano Saraiva, justificará mais tarde a necessidade de uma muleta quando Camões regressou do desterro na Índia. Vem com Jau, um escravo que o acompanhará até ao final da vida na calçada de Santana.site_lx_santana_1437

A meio desta rua está uma lápide na fachada de um prédio de três pisos a indicar que foi ali que morou Camões. Há quem diga que não foi bem assim, era próximo mas o dono deste prédio promoveu uma excelente operação de marketing no século XIX.site_lx_santana_1436

Terá funcionado na altura porque, agora, a casa de Camões desperta pouco ou nenhum interesse.site_lx_santana_1438

Henrique Duarte trabalha há 50 anos na drogaria que fica um pouco antes, na subida para a casa de Camões e diz que muita pouca gente sabe ou se apercebe da casa onde terá nascido Camões.

Calçada Sant'Ana
Calçada Sant’Ana

A rua é bonita, tem muitas casas restauradas, igrejas, palácios mas já pouco diz para quem vive aqui há muitos anos.site_lx_santana_amalia_1453

Uns metros acima, através de uma travessa, damos de frente com a casa onde terá nascido Amália Rodrigues. Mas, tal como Camões são poucas as certezas.

Calçada Sant'Ana e igreja da Pena
Calçada Sant’Ana e igreja da Pena

O corpo de Camões está nos Jerónimos mas também há muitas dúvidas sobre os restos mortais. O poeta terá sido sepultado na igreja de Sant’Ana que fica no topo da rua.site_lx_santana_1430

Só três séculos depois o corpo foi trasladado para os Jerónimos e entretanto a igreja sofreu profundas alterações decorrentes do terramoto de 1755.

Instituto Bacteriológico
Instituto Bacteriológico

A igreja de Sant’Ana já não existe, deu lugar ao Real Instituto Bacteriológico.

Interior da igreja da Pena
Interior da igreja da Pena

Não muito longe foi construída uma outra igreja, em 1705. É a Igreja da Pena e mercê também uma visita.

Henrique Duarte
Henrique Duarte

Camões em Lisboa: da tortura no Tronco ao enigma de Sant’Ana faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s