A sensação quando entramos na Furna de Enxofre, na Ilha Graciosa é que estamos a entrar no centro da Terra. A gruta tem quase 200 metros de comprimento e na parte central a altura é de 50 metros. O teto faz uma abobada, a maior na Europa de origem vulcânica.

Há duas entradas de luz e em todo o espaço um ligeiro cheiro a enxofre. Vem da fumarola que está sempre em atividade. Os visitantes podem aproximar-se e consegue-se ver com facilidade as lamas que vão libertando fumo.

A fumarola que está no interior da gruta
A fumarola que está no interior da gruta

De certa forma, em linguagem figurada, é por aqui que o vulcão vai respirando e mostra que está apenas adormecido. A última erupção vulcânica foi há cinco mil anos.
No interior da gruta há uma pequena lagoa que chega a atingir dez metros de profundidade.

Lagoa no interior da gruta
Lagoa no interior da gruta

A água é fria e quando visitei a furna tinha um pequeno bote.
Numa ilha com grande falta de água a população vinha aqui buscar o precioso líquido para a agricultura. Este foi o principal motivo que levou à descoberta do interior da Furna de Enxofre.

Espaço envolvente da gruta
Espaço envolvente da gruta

A gruta está dentro da caldeira do vulcão e para se chegar à lagoa, segundo a guia Lizete Albuquerque, as pessoas tinham de descer entre escarpas, através de cordas e subiam com os baldes cheios de água.
Agora o acesso é mais simples. Foi construída em 1939 uma escadaria em caracol que tem cerca de 40 metros de altura.

Um passadiço atravessa a gruta
Um passadiço atravessa a gruta

No interior da gruta ficamos deslumbrados com esta maravilha da natureza porque as lavas foram drenadas de modo natural e deixaram esta concavidade enorme.
O deslumbramento já vem desde o inicio da exploração da gruta, há cerca de um século por vários investigadores entre os quais o Príncipe Alberto do Mónaco.

A lagoa onde se junta à base da gruta
A lagoa onde se junta à base da gruta

É um dos lugares mais fascinantes da Graciosa conforme diz Pedro Raposo, diretor do Parque Natural.

Fora da gruta o ambiente é igualmente selvagem mas muito diferente. Estamos na caldeira do vulcão com um diâmetro superior a quilometro e meio e temos vegetação luxuriante. O verde domina e há uma grande variedade de plantas. Aqui são escassos os vestígios da presença humana.

Centro de Interpretação
Centro de Interpretação

Quase que se esgotam na estrada de acesso e no Centro de Interpretação de dois pisos que dá acesso à Furna de Enxofre.
A Caldeira está no concelho de Santa Cruz, é um dos principais geossitios dos Açores e foi classificada como Monumento Natural.
Muitos visitantes vão a pé, por trilhos já definidos e podem ainda outros lugares de interesse paisagístico ou geológico.

Furna do Abel
Furna do Abel

Um deles é a Furna do Abel, um dos maiores tubos de lava da Graciosa e também classificado como geossitio. Enquanto se faz este percurso somos ainda agraciados com paisagens magnificas dominadas de verde e com pequenos pontos vermelhos que são as cúpulas dos moinhos de origem flamenga.

Uma descida ao centro da Terra na Furna de Enxofre
faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s