Centro de ciência e história do café que “anda ligada com Campo Maior”

“As pessoas sabem que café, Campo Maior e Espanha está tudo ligado.” A frase é de Catarina Balseiro do Centro de Ciência do Café. Eu acrescento um rosto a esta trilogia. A do comendador Rui Nabeiro.
O Centro de Ciência do Café é em primeiro lugar um legado pessoal, um testemunho do homem que criou um enorme empreendimento em Campo Maior e determinante para a sustentabilidade económica e emprego no concelho.
site_cafe_campomaior_4021Em segundo plano, o Centro é uma montra de conhecimento, histórias sabores e aromas associados ao café.
site_cafe_campomaior_4051O espaço tem cerca de 3.500 metros quadrados e “é dedicado à história e cultura do café e com muitas funcionalidades interativas.”, sublinha Catarina Balseiro que nos deu a conhecer os objetivos e o contexto da criação do Centro de Ciência do Café.


O visitante pode ter várias experiências. É interessante a forma como estamos no forno de torrar o café ou sentir os diversos aromas de café.

"Dentro" do forno de torrar o café
“Dentro” do forno de torrar o café

Também ficamos a saber como foi o inicio das plantações na América do Sul e como os portugueses conseguiram as bagas para cultivar no Brasil. Uma história de amores e ramos de flores com as bagas escondidas que devem fazer parte de um romance muito criativo.
site_cafe_campomaior_4046A imaginação junta-se a dados científicos que nos levam até à rotina dos dias de hoje. “A visita está organizada de forma sequencial.
Estufa com plantas de caféO inicio com a planta do café – em Portugal só há plantações na ilha de S. Jorge nos Açores -, a história em Portugal e no Mundo, a transformação, a comercialização e por último a zona da exposição e onde estão os barristas”.

Visitantes experimentam vários tipos de café e derivados
Visitantes experimentam vários tipos de café e derivados

Quando se chega à experiência do café os visitantes já percorreram vários espaços temáticos com muitos os objetos em exposição.
site_cafe_campomaior_4063A antiga carrinha de distribuição ganha destaque mas há muitos mais. Desde instrumentos para a produção até ao requinte do consumo. Sublinha Catarina Balseiro que algumas “são peças antigas e o espólio pertence ao comendador Rui Nabeiro”.
site_cafe_campomaior_4070 Contam também a sua história de vida. Na verdade, conta também muito da história das últimas décadas de Campo Maior designadamente o contrabando de café para Espanha.
site_cafe_3976O Centro de Ciência do Café é muito visitado por estrangeiros, essencialmente espanhóis e é também uma âncora na economia local. Por outro lado, reforça o laço de Campo Maior com o café, um elo que permanece. Tudo começou com o contrabando do café. “Estamos a 14,5 km de Espanha. Ainda hoje as pessoas sabem que café, Campo Maior e Espanha, está tudo ligado.”

Catarina Balseiro
Catarina Balseiro

Centro de ciência e história do café que “anda ligada com Campo Maior” faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s