A vida nas Berlengas

A Berlenga é caso único na costa continental portuguesa. Na verdade, devido à sua dimensão, é a única a que com propriedade se pode chamar de “ilha”.

A Berlenga é caso único na costa continental portuguesa. Na verdade, devido à sua dimensão, é a única a que com propriedade se pode chamar de “ilha”.
site_berlengas_forte_5159Fica a pouco mais de 10km de Peniche e a Berlenga é vizinha de ilhéus, constituindo um arquipélago.
A Berlenga é habitada e o arquipélago está classificado como Reserva Natural e há quase uma década foi eleito Reserva da Biosfera pela Unesco.

É uma zona de nidificação e refúgio para muitas aves. Neste período do ano e até Novembro é ponto de passagem para algumas aves migratórias.
As Berlengas são também a casa de três espécies de plantas únicas no Mundo e duas delas podem ser vistas facilmente na visita à ilha porque se localizam próximo dos trilhos.

Arméria das Berlengas  © Joana Andrade
Arméria das Berlengas © Joana Andrade

É o caso da Arméria das Berlengas e da Publicária. A Herniaria das Berlengas já é mais difícil porque é muito pequena e encontra-se em zonas rochosas conforme nos descreveu Joana Andrade, coordenadora do Departamento de Conservação Marinha da SPEA, Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves.
site_berlengas_aves_DSCF2127Durante cinco anos liderou o projeto LIFE Berlengas que recuperou e restaurou o habitat da ilha das Berlengas. Procurou-se manter as populações de aves marinhas e remover ou eliminar ameaças à avifauna local.

Ligação ao Forte
Ligação ao Forte

Foi ainda recolhida informação e preparada a visitação à Berlenga, por exemplo, com a criação de um centro interpretativo. Quem fizer agora a visita dificilmente encontra um rato preto, coelhos e uma planta, o chorão das praias, uma espécie invasora que foi levada para a ilha.

Vista do Forte para o Farol
Vista do Forte para o Farol

Segundo Joana Andrade ao percorrermos agora os trilhos até ao Farol ou olharmos para as arribas rochosas já temos uma paisagem ligeiramente diferente e que varia muito ao longo do ano.

Um cardume numa baía da Berlenga
Um cardume numa baía da Berlenga

No inverno a vegetação está mais verde. Há plantas que crescem muito. “No inicio de Março começam a aparecer as flores ao longo de toda a ilha e em alguns pontos varia a coloração.

Praia do Carreiro do Mosteiro
Praia do Carreiro do Mosteiro

No verão há outras atrações como por exemplo mergulhar nas águas límpidas e que têm uma beleza caraterística. Apesar de serem frias, vale a pena um mergulho na Berlenga.”

Praia do Carreiro do Mosteiro
Praia do Carreiro do Mosteiro

A opção do mergulho é numa das praias mais bonitas de Portugal. A praia do Carreiro do Mosteiro é uma piscina natural por estar protegida por longas arribas e a água é absolutamente transparente e esverdeada.

A passagem para o Forte é um dos lugares mais fotografados
A passagem para o Forte é um dos lugares mais fotografados

Mergulhar nas águas transparentes, andar pelos trilhos, visitar o Forte, observar grutas de grande beleza ou ter a sorte de observar golfinhos são complementos à (bio)diversidade que a Berlenga nos oferece. “Que, já por si, é muito rica.

O "elefante"
O “elefante”

Há uma subespécie de lagartixa que é única no planeta. É também o único local no continente onde nidifica a cagarra e o roque-de-castro. Encontramos também a maior colónia de gaivotas de pata amarela. Uma das várias grutasA nível geológico tem a particularidade de num reduzido âmbito geográfico encontramos ilhas com formações rochosas diferentes. A Berlenga com granito rosa e os Farilhões com rochas metamórficas. Curioso terem uma história geológica diferente apesar de pertencerem ao mesmo arquipélago.”

Há passeios de barco para exploração das grutas e dos ilhéus
Há passeios de barco para exploração das grutas e dos ilhéus

Na visita à Berlenga, para quem vai pernoitar e quer dar um passeio, aconselha-se a levar uma lanterna e entende-se bem a sensação de Joana Andrade após dormir algumas semanas na ilha no decorrer do projeto Life. site_berlengas_DSCF2157“É mágico, sobretudo fora do período balnear em que há grande agitação. No Inverno e na Primavera em que o ambiente é mais calmo, mais tranquilo, apenas com a atividade dos pescadores. Estar assim num contexto isolado é maravilhoso.”

Vista para o cais e o Bairro dos Pescadores
Vista para o cais e o Bairro dos Pescadores

Além do património natural a Berlenga tem ainda o pequeno bairro dos pescadores, o Farol Duque de Bragança e o forte de S. João Baptista que têm muitas histórias para contar de frades, piratas e nacionalista que ficam para outra oportunidade.

Joana Andrade, coordenadora do Departamento de Conservação Marinha da SPEA, Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves
Joana Andrade, coordenadora do Departamento de Conservação Marinha da SPEA, Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves

A vida nas Berlengas faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:Af_Identidade_CMYK_AssoMutualistaAssinaturaBranco_Baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s