É a cascata que dá vida à aldeia abandonada de Barbelote

Barbelote fica escondida na serra de Monchique, a poucos quilómetros do alto da Fóia. A aldeia com cerca de uma dezena de casas está abandonada. É acompanhada por uma ribeira que pouco depois se despenha numa enorme queda de água. Barbelote está numa encosta muito inclinada, escondida num vale profunda e envolvida por um ambiente…

Ler Mais

Póvoa Dão e do paraíso adormecido

Póvoa Dão é uma pérola que se esconde no meio do arvoredo numa encosta íngreme que vai beijar o Rio Dão. Tudo está adormecido e em silêncio. O rio que corre muito calmo debaixo da ponte onde os poucos carros que a atravessam também seguem lentamente. O curso de água já leva histórias registadas em…

Ler Mais

A festa que mantém viva a aldeia de Colcurinho

Colcurinho, na serra do Açor, está desabitada há 7 décadas, mas todos os anos, em meados de Janeiro, o povo regressa à aldeia. Repetem o ritual de pedirem a proteção de Santo Antão. É o padroeiro local e a capela é o único edificio que não está em ruinas. A capela remonta ao século XVI,…

Ler Mais

“O Brejo é um sítio mítico”

Brejo fica no meio da serra da Bando dos Santos. O povoado disperso tem mais de uma dezena de casas quase todas em ruínas. Eram ocupadas sazonalmente por gente de aldeias vizinhas, como por exemplo, do Castelo, no concelho de Mação. O Brejo ainda preserva uma das suas riquezas, a água. “É uma fonte natural…

Ler Mais

O Vale dos Amores

O Vale dos Amores é um antigo povoado entre Meimão e Meimoa e foi abandonado há cerca de meio século. O isolamento protegeu o casario de xisto e ainda podemos percecionar o modo de vida dos habitantes, nomeadamente das bonitas raparigas que estão na origem do nome do lugar. O Vale dos Amores fica próximo…

Ler Mais

O nobre e belo Pego da Rainha

A lenda diz que a rainha costumava tomar banho na piscina natural debaixo da cascata e, por isso, ficou com o nome de Pego da Rainha. É merecido. O lugar é um privilégio da natureza. O Pego da Rainha está escondido num vale profundo, de escarpas de granito e cheio de árvores. Situa-se próximo da…

Ler Mais

O paraíso do Poço da Broca da Barriosa

O Poço da Broca da Barriosa é um paraíso. A envolvência já é, por si, de grande beleza, no sopé da Serra da Estrela, próximo de Vide. Quando chegamos a primeira impressão torna-se definitiva. É um lugar belo. Um testemunho partilhado por Ana Rita que ficou seduzida pelas quedas de água. “É um sítio muito…

Ler Mais

As cascatas (à escolha) do Penedo Furado

São várias as cascatas do Penedo Furado. Duas ribeiras oferecem-nos quedas de água e piscinas naturais que são muito procuradas no verão. Algumas cascatas têm vários metros de altura, mas muitas, talvez a maioria, não são muito altas. Com a época das chuvas ganham uma força extra que intensifica o ambiente natural com muitas rochas…

Ler Mais

Frecha da Mizarela – a maior queda de água em Portugal Continental

Na Frecha da Mizarela o rio Caima despenha-se a mais de 60 metros de altura. A primeira queda de água é comprida, a pique, depois, desdobra-se em quedas mais pequenas. Conforme bate na escarpa o fio de água alarga-se e acentua o contraste com o xisto escuro. O barulho do embate da água domina toda…

Ler Mais

O “melhor miradouro do Faial é a Caldeira”

Na ilha do Faial há vários miradouros naturais com vistas magnificas. Os que têm paisagens mais deslumbrantes são os que têm vista para a ilha do Pico. Da gigante Caldeira do Faial temos igualmente vistas mais amplas, para várias ilhas dos Açores. Um dos miradouros onde conjugamos a vista para o ponto mais alto de…

Ler Mais

O miradouro da Sapinha e dos dois rios por onde passa a Barca d’Alva

A vista do miradouro da Sapinha em Março é fabulosa devido à flor das amendoeiras e ao brilho dos rios Douro e Águeda, no vale profundo, em frente de Barca d’Alva. No restantes meses é enganadora. O brilho da natureza ofusca o esquecimento. Toda a presença humana em Barca d’Alva é passageira e fugaz. Só…

Ler Mais

Miradouro do Bando dos Santos: com nuvens estamos acima do mundo. Sem nuvens, está o mundo aos nossos pés

Estamos no cume do Bando dos Santos, ou Bando Maior, a 643 metros de altitude. Numa das melhores varandas do Centro de Portugal. Num dos seus programas telivisivos o historiador José Hermano Saraiva afirmou estar “num dos mais espantosos miradouros da terra portuguesa”. O que a vista alcança, um horizonte que ultrapassa uma centena de…

Ler Mais

Miradouro do Alto do Colcurinho tão alto como o voo do Açor

A viagem até ao alto do Colcurinho já é deslumbrante. A paisagem seduz o olhar, embora a condução tenha de ser atenta porque a estrada é muito estreita, repleta de curvas e os últimos quilómetros assemelham-se a uma rampa. Subimos para além das eólicas. O Monte do Colcurinho tem a forma de um cone, e…

Ler Mais

Sortelha com sol ou neve

Sortelha é a terra dos “lagartixos” por estar virada para o sol e o casario aproveita a encosta para se aquecer nos invernos rigorosos. O fascínio maior é ao pôr do sol e fora das muralhas. No alto da povoação, a cerca de 800 metros de altitude e para lá da Porta Nova ou da…

Ler Mais

A magia do Cavalo de Mazouco: um salto para a beleza eterna

O Cavalo de Mazouco é mágico. Vive há mais de dez mil anos. No imaginário popular já foi um carneiro e captura todos os que se aventuram a descer uma pequena encosta e dão com ele de frente. Preso numa rocha xistosa e a poucas metros do Douro (esta é outra faceta mágica) é como…

Ler Mais

Quinta-feira é dia de ir a Idanha-a-Velha

O melhor dia para visitar Idanha-a-Velha é quinta-feira. É o dia em que vai o homem da fruta e também o vendedor de peixe. Em redor do pelourinho juntam-se algumas pessoas, dos cerca de meia centena de residentes. Aguardam os comerciantes e ajudam a passar o tempo. Foi assim que conheci Albertina Mendes, que passou…

Ler Mais

Pavia não se fez num dia e só a anta-capela tem 5 mil anos

Roma e Pavia não se fizeram num dia. No caso de Pavia do concelho de Mora o fio da história já corre há alguns milénios. Desde a pré-história e um dos testemunhos que o prova é o conjunto de monumentos megalíticos que se encontra na freguesia. Um deles está no centro da vila. É uma…

Ler Mais

Os condes de Almendra, do Banho e da Nacional222

Almendra é uma amêndoa esquecida. Surpreende quem passa pela vila, no final da N222, e vê desgastada a beleza de um dos mais interessantes edifícios de estilo barroco no Norte de Portugal. Merece uma paragem mais demorada para se descobrir a verdadeira “amêndoa” do Riba- Côa. Os árabes deram-lhe o nome, outros criaram uma fortaleza…

Ler Mais

A obra prima da natureza no Cabo Sardão

Em qualquer estação do ano e em qualquer momento é deslumbrante a vista do Cabo Sardão. No entanto, uma das alturas mais espetaculares é ao pôr do sol. Os raios solares aquecem uma vastidão do Oceano e dão um brilho ocre às rochas das enormes falésias que fazem frente ao mar. Na nossa retaguarda o…

Ler Mais

Surfar a paisagem no santuário da Peninha em Sintra

O santuário da Peninha está muito associado a lendas, eremitas e santos e, de facto, quando subimos a um dos cumes mais elevados da serra de Sintra, deparamos com um cenário de total isolamento e contemplativo. O palacete no alto do monte, a imitar um castelo, e a capela mostram que outros, ao longo de…

Ler Mais

Miradouros azuis e verdes da Serra da Boa Viagem

Na serra da Boa Viagem há, pelo menos, três miradouros que nos transportam para o mar, o enorme areal até Mira e, em sentido contrário, para as praias de Buarcos, da Figueira da Foz e do Cabedelo. Os principais são o Miradouro da Bandeira e o do Cabo Mondego, com vistas muito diferentes.O Miradouro da…

Ler Mais

Miradouro da Cruz Alta na serra do Bussaco

A Cruz Alta é o culminar celestial, a aproximação às divindades. É verdade que hoje tem funções mais mundanas como namorar ou ponto de observação de incêndios, mas muitos visitantes da serra do Bussaco preservam o espírito dos monges que durante séculos viveram aqui e deixaram um legado fabuloso, em particular a notável Mata do…

Ler Mais

“Junto ao céu” no décimo piso do radar do IPMA e no alto da serra da Freita

Vamos andar “próximo do céu”, a mais de mil metros de altitude, na serra da Freita. Um roteiro que nos vai levar a três miradouros, dois deles com forte intervenção humana. O terceiro, na Mizarela, resulta de processos naturais. O miradouro está ao lado da Frecha da Mizarela, a maior cascata de água em Portugal,…

Ler Mais

A vista soberba do miradouro de N. Senhora do Viso

O santuário de Nossa Senhora do Viso, no concelho de Foz Côa, tem uma vista soberba. O horizonte alcança uma parte significativa da região do Douro e desce até à região da Guarda. Outros miradouros parecem insignificantes comparados com a da Senhora do Viso. Próximo do céu e das divindades os nossos antepassados construíram templos…

Ler Mais

Miradouro do gigante Penedo Durão

Da primeira vez que lá fui, num dia frio de Inverno dos meus dezassete anos, impressionou-me a fúria da corrente do rio, a abundância de aves que pelo tamanho me pareciam irreais, e, porque cenários daquela grandeza, só os conhecia do cinema. Voltei lá no final dos anos 60 e foi uma decepção: em vez…

Ler Mais

Suspensos no Miradouro da Fraga do Puio

Estamos numa plataforma de madeira e vidro. Suspensos sobre uma encosta de granito e o rio Douro que passa no fundo do vale. Suspensos fisicamente e com a respiração suspensa pela força da Natureza. O Douro corre apertado, sereno, depois de ter deixado para trás a barragem de Picote. Reflete cores intensas da luz do…

Ler Mais

Miradouro de São João das Arribas “mete medo porque tem uma altura do catano”

São João das Arribas tem um miradouro com uma vista deslumbrante do rio Douro e de escarpas graníticas enormes e a pique do lado português e espanhol. As arribas são de tal forma altas e verticais que só vemos o rio quando nos aproximamos da beira dos penhascos, (ou penhas) e alguns ultrapassam os 100…

Ler Mais

Paradela – miradouro e o ponto mais oriental de Portugal

O miradouro na Penha das Torres é deslumbrante e tem o simbolismo de estarmos no ponto mais oriental de Portugal. Junto a Paradela, no planalto transmontano a 16km de Miranda do Douro. É uma pequena aldeia que já teve muito trabalho nas minas de estanho, depois na pastorícia e na agricultura, mas hoje tem muito…

Ler Mais

O miradouro Casal de Loivos é a varanda de Pinhão

Do miradouro Casal de Loivos contemplamos o vale, Pinhão, o Douro e a vinha a abraçar os montes em forma de cone do outro lado da margem do rio. A par do miradouro da Quinta das Carvalhas, que fica do outro lado do rio Douro, Casal de Loivos oferece uma das mais bonitas vistas do…

Ler Mais

Miradouro de Frei Estevão e da N222

O miradouro de Frei Estevão é um ponto de paragem obrigatório na Nacional 222 em Ervedosa do Douro. O miradouro fica mesmo ao lado da rodovia que namora o rio. É parar e ver de imediato um dos cenários mais bonitos do Douro e que ilustra o motivo porque toda esta área foi classificada pela Unesco…

Ler Mais